Sobre querer salvar

Créditos: We Heart It

Eu sou muito otária mesmo, muito idiota, muito boba. Mas eu não me envergonho disso, isso me faz humana, os erros que isso geram me amadurecerem. Toda essas situações valem a pena no fundo, pois me ajudam a ver melhor o mundo e as pessoas.
Aprendi a não ter pena de mim, não me lamentar pelas coisas que me acontecem, a entender o que é e não é culpa minha, e assim não carregar culpas em excesso. 
Hoje eu vejo quanta gente tentei ajudar nessa vida, não sou o Gentileza, não sou nenhuma cientista descobrindo a cura pra Aids, sou só alguém que vez aqui vez ali, encontra alguém sufocando um pedido de socorro por baixo de palavrões e personalidades desprezíveis. E o que eu faço? Eu tento ao máximo ajuda-las. Eu realmente gosto disso. Eu gosto de ver e pensar que as pessoas gostariam de ser melhores. E se elas gostam, então elas podem ser.
Mas sinceramente? Existe algo além da minha compreensão, algo abstrato entre o querer, o poder e o ser. Algo ai que me impediu tantas vezes de conseguir sorrir verdadeiramente no fim. Eu não consegui, eu não mudei você.
Eu sei, eu não sou Deus. Mas de todos só você resistiu. Meu altruísmo anda em baixa. Eu parei. Eu não lutei. Eu me senti mal por isso um bom tempo. 
Eu poderia ter feito mais. Mas não deveria fazer. Não fiz. A vida te ensino o resto, é assim que é.
Mas por enquanto mantenha sua alma longe da minha. Ela têm o dom de acabar com a felicidade alheia. Ela rouba coisas, ela perturba. Eu sinto muito mas quero você longe de mim.
Eu não pude salvar sua alma, então não quero arder junto a ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, é um prazer ter você por aqui!
Mas por favor, leia o post antes de comentar ok? Comentários que não tiverem nada a ver com o conteúdo da postagem serão excluídos. Isso serve para aqueles "Nossa, adorei o texto".
Não siga para ganhar follow de volta, só seguirei seu blog se eu realmente gostar do conteúdo. Faça o mesmo por aqui.

Um beijo,
Lyn.