Não se assuste,é apenas o fim novamente.

Eu imaginava sua aureola,cercando o contorno do rosto despreocupado e cansado,cansado do roteiro que eu havia dado a nos dois,fingir ser feliz realmente cansa,ele conseguia se manter em pé,eu não.Só uma pessoa pode acabar com uma mentira,a que a inventou,eu me sentia cercada pelos meus pensamentos,me pressionando cada vez mais,mas embora fosse um turbilhão de ideias me afogando,eu ainda conseguia ver o ponto de luz que vinha de cima,eu estava consciente agora,sabia o que ia fazer,e me manteria assim.

Mesmo tendo a certeza que não existiria felicidade longe dele,algo me estigava a tentar,pela primeira vez,eu não pensava só em mim,quando minha mente se fazia capaz de pensar em algo realmente concreto,pensava e admitia que tudo que havia vivido,não passou de um rabisco de felicidade,que fiz na esperança de que quanto mais imaginasse que ele amava,assim seria,criara um mundo de ilusões e mentiras,pra que eu também pudesse viver um conto de fadas,mas vejo que essas coisas não existem,e que quando tentei escapar,já era tarde,eu havia acreditado na minha própria mentira.
Tive a chance de escolher como seria o começo,e agora podia escolher o fim,a meus olhos,não era a forma mais dolorosa,mas a mais sutil,ele não entenderia,mas não me preocupava o entender,e sim a dor,mas o tempo é o melhor dos remedios,e contra dor eu sabia que ele era bom,tinha certeza.

Ele se levantou,beijando-me a face,disse até mais ver e as almas se soltaram de uma vez,senti o coração gelar,e ritmar lentamente... até parar. - te vejo depois- ele sorriu e a escuridão da avenida o levou para longe,estaria melhor abrigado por entre as ruas do que em meus braços,não respondi,apenas sorri,encontraria a felicidade agora,pois esta consiste em fazer o outro feliz,e eu sabia que estava fazendo,não disse Adeus,não são boa com essas coisas,não encontrei palavras para remediar meu erro,palavras para dizer esse é o fim,as luzes se apagaram,as cortinas cairam,fim da peça,fim da farsa.


Nova York está em baixo dos meus pés agora,mais precisamente a 730 metros,as luzes ficam mais bonitas a essa hora da noite,eu realmente espero que a felicidade esteja lá em baixo,pés pra frente,palpitando a imensidão do abismo,ai vou eu.




Texto para o bloínquês

5 comentários:

  1. massa seu blog ehim... e o clip da avril lavigne torna ele mais massa ainda ^^ bjs

    ResponderExcluir
  2. Uaaaaaaaaau... menina... Que emocionante, heim?
    E esse final, Nova York embaixo dos meus pés, ficou magnífico.
    Embora o final não seja tão bom, né?

    Mas amei... Parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. adorei *-----* seguindo viu ^^
    me segue tbm !

    ResponderExcluir
  4. às vezes penso que eu sou a única pessoa a pensar que o senhor tempo não é um bom remédio, eu só o acho muito sábio, mas como remédio, ele nunca fez efeito pra mim ;~

    beijas erica :*

    ResponderExcluir
  5. Toooda poderoosa!
    amo seu jeito de escrever!
    *--* Maybaby!

    ResponderExcluir

Olá, é um prazer ter você por aqui!
Mas por favor, leia o post antes de comentar ok? Comentários que não tiverem nada a ver com o conteúdo da postagem serão excluídos. Isso serve para aqueles "Nossa, adorei o texto".
Não siga para ganhar follow de volta, só seguirei seu blog se eu realmente gostar do conteúdo. Faça o mesmo por aqui.

Um beijo,
Lyn.